Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para busca 3 Ir para rodapé 4 Acessibilidade 5 Alto contraste 6

---

  • ?
  • ?

---

  • ?
  • ?

Escola Municipal Monsenhor Sebastião Scarzello

Publicado em 18/04/2017 às 09:43 - Atualizado em 30/03/2021 às 16:06

 

Endereço: Rua Alcides Mello, nº 235
Bairro: Santa Cruz
São João do Itaperiú - SC
E-mail: mss@pmsji.sc.gov.br
Telefone: (47) 3458-1048
Diretor: Janice de Souza Pereira

 

 

CORPO DOCENTE

Pré 1 (Vespertino)
Marlis Alflen Kreich

Pré 2 (Matutino)
Marlis Alflen Kreich

1ª ano (Vespertino)
Maria Aparecida Brugnago de Ávila

2ª ano (Vespertino)
Terezinha Aparecida Reis Mello

3ª ano (Vespertino)
Joana de Angelis Ávila Gadotti

4ª ano A (Matutino)
Rosilene Lima Barros da Luz

4ª ano B (Matutino)
Bruna Carolina Redmerski

5ª ano (Matutino)
Maria Aparecida Brugnago de Ávila

Atendimento Educacional Especializado (AEE)
Maria Ida Leduvino

Artes
Jocemara Bill de Souza

Educação Física
Alberto de Moraes

Inglês
Judite Pechibilski

Auxiliar de Sala
Verli Galvão Wilbert

 

HISTÓRICO DA ESCOLA

Uma das primeiras escolas de Santa Cruz, funcionava em casa de morada, pertencente ao Sr. Thomas Garcia, sendo a professora sua filha Francisca Generosa Garcia. Após esta escola, a educação seguiu-se para um colégio de padres na localidade de Morro dos Monos. Era um colégio agrícola, que tinha como padroeiro São Vicente de Paulo. Seu diretor e fundador o padre Sebastião Scarzello, de nacionalidade italiana, de alta compreensão patriótica, por várias vezes, nos desempenhos do ministério sacerdotal.

Com a extinção do colégio dos padres, foi instalado em 1954 a Escola Mista Estadual de Santa Cruz, com turmas de 1ª a 4ª Série, localizada em uma casa de morada, pertencente ao Senhor Alcides Mello. Entre os professores regentes, podemos destacar: Elvira M. Cargnete, José Lino Cargnete, Luiza Vicente Mafra e Ermelinna da Rocha Jorge.

Com o passar dos tempos, havendo necessidade de uma escola própria para melhor aproveitamento da educação, o Sr. Alcides Mello, morador da comunidade de Santa Cruz, doou o terreno para implantar uma nova escola. Algumas professoras que se dedicaram muitos anos de sua vida profissional nesta escola e merecem serem mencionadas: Altair de Oliveira Coelho, Beatriz Redmereski, Maria Olinda Reis, Elza Rocha Rosa e Lúcia Melchioreto.

Com grande honra, homenagearam a amizade, a luta, a devoção pela educação do então Monsenhor Sebastião Scarzello, passando a ser indicado como o patrono da escola de Santa Cruz, e, através do Decreto de Criação n° 2720 – de 03/05/65, fica instalado com a seguinte denominação: E. R. Monsenhor Sebastião Scarzello. Foi inaugurada em 12 de setembro de 1965, onde contava com 40 alunos distribuídos em dois períodos, duas professoras e uma servente. A primeira turma de Pré-Escola através do MOBRAL foi implantada no ano de 1983. Com a nucleação de várias escolas, houve um aumento significativo no número de alunos.

No ano de 2002, houve necessidade de ampliação, então foi construída uma nova sala de aula para atender a demanda de alunos. Em 2015 a escola ganhou uma sede nova, localizada na Rua Alcides Mello.

 

 

MISSÃO DA ESCOLA

Contribuir para constante melhoria das condições educacionais da população, visando assegurar uma educação de qualidade aos nossos alunos num ambiente criativo, inovador e de respeito ao próximo.

 

 

 OBJETIVOS DA ESCOLA

- Resgatar a intencionalidade da ação possibilitando a (re)significação do trabalho;

Dar um referencial de conjunto para a caminhada, unindo as pessoas em torno de uma causa comum: solidariedade e parceria;

Propiciar a racionalização dos esforços e recursos utilizados para atingir fins essenciais do processo educativo;

Dar a devida importância ao momento da tomada de decisão coletiva de se fazer projetos, homenagens, gincanas e concursos;

Propiciar tempo para esclarecimentos e troca de opiniões;

Assegurar a igualdade de condição para acesso e permanência na escola;

Assegurar o direito à educação, visando ao pleno desenvolvimento de sua pessoa, preparo para o exercício da cidadania e qualificação para o trabalho;

Respeitar os valores culturais, artísticos e históricos próprios do contexto social da criança, garantindo a estes a liberdade de criação;

Garantir acesso às fontes de cultura;

Zelar pelo patrimônio escolar.

 

 

BIOGRAFIA DE MONSENHOR SEBASTIÃO SCARZELLO

 

Monsenhor Sebastião Scarzello

 

Nasceu no dia 05 de maio de 1880 na cidade de Turim, Itália. Veio de um berço culto. Filho do engenheiro Domingos Scarzello, sua mãe, professora. Formou-se aos dezessete anos em filosofia, estudou sociologia e defendeu tese em Economia Política.

Aos 20 anos, depois de ter vivido uma grande vida social, sentiu que tinha vocação para seguir a carreira religiosa. Seus pais a respeito deste sentimento, não fizeram nenhuma crítica. Pertenceu à Diplomacia Vaticana, onde continuou seu estudo, aperfeiçoou-se em direito internacional, demonstrando aí qualidade suficiente para uma missão muito importante.

Foi então que em 1903, foi enviada pela Santa Sé à África onde seria colocado em contato com certas tribos indígenas para catequização. Como tinha certo conhecimento em medicina, estudou a pedido do governo inglês a doença do sono que se espalhava entre estas tribos. Contribuiu com o Centro Antropológico de Roma, enviado da África onde estava tudo o que pudesse interessar a antropologia.

Na África ele elaborou a primeira gramática da língua bantus. Para esse feito, estudou e aprendeu quatro línguas bantus. Durante sua missão na África, foi elaborando seu relatório que deveria enviar à Roma. Este relatório constou 4.000 folhas e mais de 2.000 fotografias. Foi um belo trabalho que relatava os costumes, a religião, a vida social e o meio de vida daqueles povos bantus.

Veio para o Brasil no ano de 1912, trazido pelo Bispo de Mariana, Dom Silvério Gomes Pimenta. Chegou a Joinville em 1929. Sua intenção era ficar em Joinville por seis meses com o Bispo Diocesano Dom Pio de Freitas Silveira. Dedicou-se em Joinville ao ensino. Foi professor de psicologia e sociologia. Sempre dizia que seu desejo é que seu corpo descansasse nesta terra que lhe deu o título de Cidadão Honorário.

Em 1936 integrou-se na colônia agrícola “São Vicente” em Morro dos Monos. Em 1938 o Inspetor Escolar Sr. Marcílio Dias de S’Antiago concede ao Pe. Sebastião Scarzello, delegado escolar junto a Escola Estadual do Colégio Agrícola.

Em fevereiro de 1939 fora transferido e nomeado “Cura da Catedral”, da qual tomou posse no domingo de 12 de março de 1939.

No dia 04 de dezembro de 1939 o Pe. Sebastião internou-se no Hospital em Joinville, tendo adoecido gravemente de febre malária.


A Escola

  • {{galeriaImagens.length + galeriaVideos.length - 12}}
  • {{galeriaMultimidia.length + galeriaImagens.length + galeriaVideos.length - 12}}
Fechar

Localização